InfoBee Estudo mostra que abelhas sabem contar e têm conceito de direita e esquerda - InfoBee
InfoBee
E-mail de contato

contato@infobeebr.com.br

Telefone de contato

(91) 3204-1050

Estudo mostra que abelhas sabem contar e têm conceito de direita e esquerda

Data: 21/10/2022 - por Revista Planeta

Estudo mostra que abelhas sabem contar e têm conceito de direita e esquerda

Estudo mostra que abelhas sabem contar e têm conceito de direita e esquerda (Foto: Dmitry Grigoriev/Unsplash)

De acordo com um novo estudo publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences na última segunda-feira, 17 de outubro, as abelhas parecem preferir seus números ordenados da esquerda para a direita. A descoberta sugere que as abelhas têm uma “linha numérica mental” e que essa associação tem raízes biológicas.

s abelhas treinadas para reconhecer um número específico tendem a voar para a esquerda quando recebem duas opções lado a lado de um número menor e para a direita quando as opções representam um número maior, afirma o estudo.

Muitos humanos têm uma linha numérica mental que geralmente coloca números menores à esquerda e números maiores à direita. Se solicitado a organizar vários cachos de uvas por tamanho, uma pessoa provavelmente os alinharia aumentando o número de uvas da esquerda para a direita. Se esta associação está presente no nascimento ou aprendida mais tarde na vida tem sido um assunto de debate.

Trabalhos anteriores mostraram que as abelhas podem contar e que até entendem o conceito de zero “Quando você percebe todos esses fatos, uma pergunta óbvia [é se as abelhas têm] a chamada linha numérica mental”, explicou Martin Giurfa, biólogo da Université Paul Sabatier em Toulouse, na França.

Trabalhando em casa durante a pandemia de Covid-19, Giurfa testou 134 abelhas (Apis mellifera) em suas habilidades de ordenação de números usando um design desenvolvido com pesquisadores que fizeram experimentos semelhantes com pintinhos e bebês humanos.

Primeiro, Giurfa teve que ensinar seus “alunos” a reconhecer os números. Usando água com açúcar, ele atraiu abelhas para uma câmara de teste construída a partir de uma caixa de vinho reaproveitada.

Para cada abelha, ele pendurou um painel na parte de trás da caixa com um certo número de símbolos (um, três ou cinco) e as alimentou com água com açúcar para que aprendessem a associar o número à comida. Ao variar a aparência dos símbolos entre as visitas, ele garantiu que as abelhas estivessem aprendendo o próprio número e não certas formas ou arranjos.

Após 30 idas ao box, chegou a hora do teste: Giurfa retirou o painel de treinamento e montou dois painéis espelhados, um na parede esquerda do box e outro na parede direita. Esses novos painéis tinham o mesmo número de símbolos que o painel de treinamento, menos símbolos ou mais.

Para qual painel as abelhas voaram? Para a esquerda ou para a direita? “Depende do seu número de referência”, explicou Giurfa. Das abelhas treinadas em “um”, 72% voaram para o painel “três” à direita, mas das abelhas treinadas em “cinco”, 73% foram para o painel “três” à esquerda.

“Esse é exatamente o conceito da linha numérica mental. Você alinha os números com base em sua referência. Se o número do teste fosse igual ao número do treinamento, as abelhas não mostraram preferência por esquerda ou direita”, acrescentou ele.

Enquanto alguns cientistas concordam que o estudo é um argumento convincente para uma linha numérica mental em abelhas, outros argumentam que o novo trabalho é uma simplificação excessiva do comportamento humano complexo.